Robalo Natalício

“Surfcasting”
Boas pessoal, já havia uns dias que não publicava nada, poucas têm sido as vezes que o mar faz feição de se apanhar uns peixes e quando o faz o peixe não comparece ao encontro.
Nesta altura do ano há muitos pescadores que procuram o tão cobiçado Robalo Natalício, eu não sou excepção e também fui procurar o meu, aproveitei uma pequena quebra que as condições meteorológicas deram entre duas tempestades e fui tentar a sorte.

Esta tem sido uma semana de Invernada que já fazia muita falta, pelo menos aqui no sul, mares de tormenta são bons para mexer e remexer os fundos. Estamos num ano atípico no que diz respeito ao limo na Costa Sul e estes mares podem ajudar um pouco na eliminação desse limo (lixo). Vejo por aí pessoal a queixar-se que não tem sorte na pesca por causa do mau tempo e do estado do mar, pois a meu ver esse mau tempo e mares grandes são a nossa sorte para se poder apanhar uns bons peixes no futuro seja ele próximo ou longínquo, isto sim é um verdadeiro defeso natural e para TODOS, também me custa ficar sem pescar nos sítios que mais gosto durante semanas ou meses, pois levo o ano inteiro à espera do Inverno para pescar e por aqui o Inverno resume-se a quatro meses que passam num abrir e fechar de olhos, há quem diga que os Algarvios têm sorte porque podem pescar quase todos os dias, desenganem-se porque mar chão não é sinónimo de peixe e muito menos de grandes pescarias, o mar tem de fazer feição em determinadas alturas para o peixe abeirar para comer, se não o mais certo são chibos atrás de chibos como se costuma ver por aí o pessoal a falar nas redes sociais.

Finalmente a chuva chegou, seja ela bem-vinda pois tanta falta faz para a vida na terra e também para a vida no Mar, embora hoje em dia já dê por a mim a pensar que as ribeiras e riachos que desaguam para o Mar e que antigamente levavam muitos e bons nutrientes, hoje levam também agroquímicos das hortas e plantações assim como os óleos e combustíveis dos automóveis que estão nas estradas e que com as chuvas acaba tudo por ir parar ao Mar, entre outras tantas coisas que usamos em nossa casa no dia-a-dia e que nem nos lembramos que no final tudo acabará no Mar, “Áh e tal essas águas passam nas estações de tratamento” tretas, desculpem lá mas a mim não me enfiam os dedos no olhos porque eu não deixo…
Bom pessoal mas vamos lá à jornada e vou tentar resumir ao máximo para não esticar muito o relato. Depois de estudar as condições e pensar no spot em que ia apostar e já saber que ia apanhar chuva, claro; não estou a reclamar, pois ela faz tanta falta que nem tenho o direito de reclamar, cheguei cedo para ver como aquilo estava e embora não estivesse um luxo dava para desenrascar e antes que chegasse alguém e me “roubasse” o lugar apressei-me a montar as canas, depois tudo o resto já terminei nas calmas. 

A actividade de peixe aceitável era fraca e ainda devolvi três bailas pequenecas, já noite fora tive a felicidade de ferrar este Robalo que para variar era filho único mas pelo menos era dos bons, na mesma cana e mais tarde ainda tive uma boa porrada mas não ficou.
Posso dizer que fiquei satisfeito com o resultado, pois nos dias que correm não se pode pedir muito, fiz o que pude para rentabilizar ao máximo o tempo que estive a pescar mas não consegui aproveitei mais nenhum peixe, o único ponto negativo foi o limo que continua a não dar tréguas…

Pode ser que não chova!! Hahahahaha deve ser isso deve, fia-te na virgem e não vistas o corta-vento não…

Depois da pesca aconcheguei o estômago com umas broas de amêndoa e um JB 15 anos, um gajo tem de comer alguma coisa, atão!!!

A apanha do lixo desta vez não foi muita, mas sempre ouvi dizer que mais vale pouco do que nada…
Eu pelo menos ainda apanhei este agora a “Greta” aquela é boa é pa falar, discursos e palestras que até faz lembrar os políticos, eu não tenho nada contra a miúda mas nunca vi um vídeo ou uma foto sua a apanhar lixo marinho, nem vou dizer mais nada…

Aí um dia destes combinou-se um jantar de Natal com uns amigos da pesca aqui do Sul como já vem sendo hábito nos últimos anos, tudo malta simples e porreira, muitas gargalhadas e galhofa neste convívio onde comida e bebida não faltou, e o medronho caseiro até foi de mais 😂

Enquanto o pessoal falava e esperava pelo prato principal eu resolvi garantir logo a pesca ali com uma travessa de camarões que ninguém lhe tocava, a mim ensinaram-me que primeiro come-se e depois logo se fala, aí não 😉 

Bom pessoal por hoje é tudo, não é que eu ligue muito ao Natal, mas Natal é Natal e por isso desejo um Bom Natal a todos aqueles que me seguem e que gostam de ler os meus relatos de pesca, uns bons e outros menos bons, pois isto não é como eu quero é como a vida e a Natureza manda.

Quando puderem apanhem algum lixo na orla costeira para ajudar o meio ambiente, mesmo que seja pouco sempre ajuda mais do que falar da boca para fora ou discutir o assunto nas redes sociais, entretanto pode ser que o Pai Natal lhes ponha umas escamas na bota 😏
Saúde e força aí pessoal.

— ATENCIÓN: El artículo pertenece al BLOG de «Lobo do Mar» —


Deja una respuesta

Su dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados *

Puedes usar estos HTML etiquetas y atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

info@donpesca.com