Recomeçar

“Spinning”
Boas pessoal!
Já havia uns meses que não vinha aqui escrever nada, não é novidade nenhuma para a grande parte de vocês que já sabe que eu não pesco no verão.
Como bom Algarvio de gema estou proibido de tirar férias no verão, sinceramente nem me passa pela cabeça cometer tal erro e acho que qualquer um sem ter de pensar muito sabe bem porquê.

Mas o tempo agora apesar de ainda estar quentinho já é outro, anuncia mudanças, os cheiros estão diferentes, os amanheceres são diferentes, a linha onde o sol roda já é outra e isto em conjunto com tantas outras coisas por vezes chegam a dar-me uma sensação boa e quase inexplicável (assim tipo aquela que tinha em miúdo quando começavam as férias grandes de verão e sabia que ia ficar meses sem meter os pés na escola e sem ver as bruxas das professoras que só me faziam a vida negra).
O relato que vos trago hoje para contar, foi uma simples jornada de spinning em modo de brincadeira só para ver se ainda sei mexer nestas coisas 😊  no mês de Setembro fiz aí duas ou três investidas para brincar à pesca e matar saudades, quando ficamos tanto tempo afastado deste mundo, qualquer simples ida à pesca mesmo sem grandes resultados já é bastante satisfatório, certamente que lá mais para a frente não vou ter a mesma opinião 😊

Neste dia em questão madruguei e fui ver o nascer do sol, andavam por lá umas bailas pequenecas e entre alguns ataques que tive ainda tirei duas que foram devolvidas, um pouco depois e já com o passeante cravei este robalote kileiro que veio comigo e foi o almoço cá em casa nesse mesmo dia.
O simples ritual de lavar as mãos para tirar aquela “goma” que o peixe liberta sabe-me tão bem como respirar, depois de tanto tempo afastado do que me faz sentir vivo.

Cores do amanhecer

Os petiscos com o amigo João Santana este verão foram poucos, umas vezes por motivos de força maior e outras vezes porque não estávamos em sintonia, mesmo assim ainda demos ao dente umas poucas vezes e algumas até esquecemos da foto da praxe. Nesta tarde de calor a equipa de ataque fui eu, o João e o Capitão (Rei do Charroco) este homem até com o mata moscas ele apanha charrocos 😂

Neste dia levantei-me cedo e fui à maré onde apanhei lingueirões e também uns berbigões, depois do material babujar o dia todo, preparei uma frigideira onde fiz uma cebolada de marisco com alhos, juntei-lhe uns camarões que estavam esquecidos na arca e com um pão de kg ainda deu para beber uma grade com o Capitão, um gajo tem de comer alguma coisa 😉

Aqui a ementa foi conquilhas e berbigão só para desenjoar, tem que se comer alguma coisa 😉

Neste dia juntei-me com o João e o Cristóvão (Mata Chibos) foi uma noite engraçada com algumas histórias e risadas pelo meio bem regadas com muita bebida, o café fechava às 24h mas só demos por isso quando já eram 2:30 da manhã   hahahahaha

Algures na Ria Formosa

Ainda tirei uma Safata de 800g mas só em casa é que vi que o peixe tinha ficado com um escorrido de sangue, decidi não publicar porque acho que é um pormenor que fica muito feio.

Sabe tão bem uma cerveja gelada depois de vir da maré numa manhã de calor.
Pessoal por hoje é tudo, saúde e até à próxima, força aí…

— ATENCIÓN: El artículo pertenece al BLOG de «Lobo do Mar» —


Deja una respuesta

Su dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados *

Puedes usar estos HTML etiquetas y atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

info@donpesca.com